Make your own free website on Tripod.com

Alessandro Giuseppe Antonio Anastasio Volta (1745 - 1827), Alessandro Giuseppe Antonio Anastásio Volta nasceu em Como, Lombardy. Nasceu numa época em que o nível de vida de sua família havia diminuído. Ao contrário do que se esperava, o jovem Alessandro não seguiu a carreira eclesiástica.                   Quando jovem, não mostrou ser um menino prodígio. Começou a falar apenas aos quatro anos de idade e sua família estava convencida de que ele possuía problemas mentais. Entretanto, aos sete anos, quando ocorreu o falecimento de seu pai, alcançava o nível de perspicácia para crianças de sua idade. A partir de então, Alessando começou a progredir intelectualmente. Aos quatorze anos, decidiu que seria físico.  Alessandro Volta ficou fascinado com as máquinas e equipamentos que conhecia. Nesta idade, ficou fascinado pelos fenômenos da eletricidade. Em 1774, foi apontado como professor de Física na High School de Como e, no ano seguinte, inventou a "eletrophorous", uma máquina que acumula a cargas. Alessandro Volta passou, então, a ser conhecido por sua invenção e pelo resultado. Em 1778, Alessandro foi o primeiro a separar o metano.                             Em 1779, recebeu um cargo de professor na Universidade de Pavia, onde continuou com suas pesquisas e seu trabalho em eletricidade. Inventou outros dispositivos que envolvem eletricidade estática e recebeu a medalha de Copley da Sociedade Real, onde foi nomeado membro em 1791.                                          Seu feito principal não foi na eletricidade estática e sim na eletricidade dinâmica, mais precisamente em relação à corrente elétrica. Depois das experiências de Galvani, um amigo seu fez cópias de artigos sobre o assunto, Alessandro Volta formulou a questão sobre o resultado que teria ao colocar dois metais diferentes em contado com um mesmo músculo.                                                                                        Em 1974, decidiu montar um dispositivo onde encontrava-se dois metais diferentes, sem o contato de qualquer tipo de tecido. Como resultado de seu trabalho, obteve a informação de que havia uma corrente elétrica circulando entre os dois metais.                                                                                   Aprofundando-se nas pesquisas, em 1800, Alessandro Volta comprovou sua tese construindo um dispositivo que produzisse um fluxo contínuo de eletricidade. Esse dispositivo recebeu o nome de "bateria elétrica", a primeira na história. Esta invenção levou Alessandro ao reconhecimento no mundo científico. Foi chamado à França por Napoleão Bonaparte em 1801 para uma "performance" de suas invenções. Recebeu medalhas e condecorações, incluindo a Honra da Legião e em 1810 foi senador do reino de Lombardy.                                                                                                                                            Durante toda a vida, Alessandro conseguiu honras e condecorações, independente do tipo de governo reinante na época, em diferentes países. Após a queda de Napoleão e a Áustria dominando a Itália, Volta conseguia se manter em evidência. Entretanto, a maior honra que Alessandro Volta recebeu foi de seus amigos e colegas cientistas, quando da definição de unidade de força eletromotriz. Esta unidade recebe o nome de Volt.

 

Anders Celsius (1701-1744), astrônomo sueco, nascido em 27 de novembro de 1701 em Uppsala, e falecido em 25 de abril de 1744 na mesma cidade. O pai de Celsius era professor de astronomia na Universidade de Uppsala, e seu filho desde cedo seguiu seus passos. Ele estudou astronomia, matemática e física experimental, e em 1725 tornou-se secretário da Uppsala Scientific Society (Sociedade Científica de Uppsala). Depois de lecionar na universidade por muitos anos como professor de matemática, em abril de 1730 Celsius foi designado professor de astronomia, exercendo tal atribuição até os seus últimos dias. De 1732 a 1736 ele viajou intensivamente, a fim de ampliar seus conhecimentos. Ele visitou astrônomos e observatórios em Berlim e Nürnberg. Nesta cidade, no ano de 1733, ele publicou uma coleção de 316 observações da aurora boreal, feitas por ele e por outros de 1716 a 1732, sendo o primeiro a associar o fenômeno com o campo magnético da Terra. Em seguida ele foi para Itália, e então para Paris; onde tomou conhecimento de Maupertius, que preparou uma expedição para medir o arco do meridiano em Lapland, na esperança de verificar a Teoria de Newton de que a Terra é achatada nos pólos e desmentir a visão Cartesiana contrária. Celsius juntou-se à expedição Mautertius, e em 1735 chegou a Londres para dispor os instrumentos necessários. No ano seguinte, seguiu a expedição francesa a Tornea, no norte da Suécia (agora Tornio, Finlândia). Na qualidade de astrônomo, ele ajudou com a medição plana dos meridianos, e a teoria Newtoniana foi confirmada. Ele foi diligente na controvérsia que mais tarde desenvolveu-se sobre o que Maupertius havia feito, e entusiasmou-se com sua literatura, De observationibus pro figura telluris determinando (1738), contra Jacques Cassini.                                    No seu seguinte retorno a Uppsala, Celsius ampliou sua nova vida lecionando astronomia na universidade. Em 1742, ele transferiu-se para o recém concluído observatório astronômico, que demorou anos para ser construído e era a mais moderna instalação deste tipo na Suécia.                                                         Apesar de morrer jovem, Celsius viveu o suficiente para fazer importantes contribuições em várias áreas do conhecimento. Como astrônomo, ele foi primordialmente um observador. Usando um método puramente fotométrico (filtros de luz através de placas de vidro), ele conseguiu determinar a magnitude das estrelas da Constelação de &AACUTEries (De constellatione Arietis, 1740). Durante a discussão sobre a queda do nível do Báltico, ele escreveu um artigo a respeito, baseado em experimentos exatos, "Anmärkning om vatnets förminskande" (1743). Hoje Celsius é melhor conhecido relacionado a uma escala termométrica. Apesar de uma escala centígrada ter sido usada anteriormente, foi a famosa observação de Celsius a respeito dos dois 'graus constantes' no termômetro, "Observationer om twänne beständiga grader på en thermometer" (1742), que conduziu a sua aceitação geral. Como os 'graus constantes', ou pontos fixos, ele escolheu os pontos de congelamento e ebulição da água, chamando o ponto de ebulição de ponto zero, e o de congelamento de ponto cem. O presente sistema, com a escala reversa, introduzido no observatório de Uppsala, foi conhecido como o 'termômetro sueco'. Por volta de 1800, as pessoas começaram a se referir a ele como termômetro de Celsius.                                                                       Os mais importantes escritos de Celsius são De observationibus pro figura telluris determinando (Uppsala, 1738); De constellatione Arietis (Stockholm, 1740); "Observationer om twänne beständiga grader på en thermometer" em Kungliga Svenska vetenskapsakademiens handlingar (1742), 121-180; e "Anmärkning om vatnets förminskande", ibid (1743), 33-50. ); "Observationer om twänne beständiga grader på en thermometer" pode ser encontrado em alemão como nº 57 em ' Ostwald's Klassiker der exahten Wissenschaften (Leipzig, 1894). A maioria dos seus escritos menos importantes foram publicados como trabalhos acadêmicos ou aparecem em Kungliga Svenska vetenskapsakademiens handlingar, Philosophical Transactions of the Royal Society, ou outros periódicos. Seus escritos pessoais, incluindo cartas de Maupertuis, J.N. Delisle, e Le Monnier, estão na biblioteca da Universidade de Uppsala.

Antoine Laurent Lavoisier (1743-1794), nasceu em 1743 no seio de uma família rica e ambiciosa de Paris. Seu pai era advogado e sua mãe uma rica herdeira. Como conseqüência, o jovem Lavoisier foi enviado ao melhor colégio de Paris, o College des Quatre Nations. Se graduou em leis em 1763 e em 1766 seu pai lhe deixou uma herança considerável. Em 1771 casou-se com Marie-Anne Paultze, de 14 anos. Ela era inteligente e culta, aprendeu inglês e traduziu para seu marido muitas obras. Lavoisier escreveu sua grande obra denominada "Traité élémentaire de Chimie" (Tratado Elementar de Química) em 1789, que foi ilustrado por sua mulher. Ele foi eleito membro da prestigiosa Academia Francesa em 1768. Lavoisier contribuiu de maneira significativa não só para derrubar a teoria do flogístico, mas para estabelecer um novo método de investigação que caracterizou o nascimento da Química como Ciência Experimental, chamada de REVOLUÇÃO QUÍMICA. Medir, pesar, testar, provar, esse foi o novo jeito de fazer ciências.                                                                                                                                     Fatores que caracterizam a REVOLUÇÃO QUÍMICA:

 

Alfred Werner (1866-1919), químico alsaciano nascido em Mulhouse a 12 de Dezembro de 1866 e falecido em Zurique a 15 de Novembro de 1919.
Estudou em Karlsruhe, Zurique e Paris. Foi colaborador de Berthelot em Paris, e ensinou Química orgânica em Zurique a partir de 1895. A sua obra mais valiosa refere-se à estereoquímica dos compostos de nitrogênio. Em 1893 enunciou a teoria da coordenação ou das valências residuais, graças à qual vieram a descobrir-se os isômeros de muitas combinações metálicas. Recebeu o Prémio Nobel da Química em 1913.

 

Alexander Friedman (1888-1925), físico russo, em 1922 partiu de uma hipótese simples: se o universo parece idêntico se observando em qualquer direção, o mesmo ocorreria se fosse observado de qualquer outro lugar.                                                                              Argumentava também que o universo era isomórfico e isso só seria possível se o raio e a densidade media do universo estivesse mudando.                                                                                                                  O universo estaria em expansão.

 

 

 

Albert Einstein(1879-1955), o mais célebre dos cientistas do século XX, responsável por teorias que revolucionaram não apenas a física, mas o próprio pensamento humano, Einstein acreditava que só a evolução moral impediria uma catástrofe a nível planetário.

Em 1905, ano em que concluiu o doutorado, Einstein publicou quatro ensaios científicos, cada um deles com uma grande descoberta no campo da física. No primeiro, fez uma análise teórica do movimento browniano, produzido pelo choque das partículas de um líquido sobre corpos microscópicos nele introduzidos; no segundo, formulou uma nova teoria da luz, com o importante conceito de fóton, baseando-se na teoria quântica proposta em 1900 pelo físico Max Planck; no terceiro, expôs a formulação inicial da teoria da relatividade e no quarto e último trabalho, propôs uma fórmula para a equivalência entre massa e energia, a célebre equação E = mc², pela qual a energia E de uma quantidade de matéria, com massa m, é igual ao produto da massa pelo quadrado da velocidade da luz, representada por c.

Descoberta da relatividade.                                                                               No ensaio dedicado à relatividade, intitulado "Elektrodynamik Bewegter Körper" ("Movimento eletrodinâmico dos corpos"), o cientista afirma que espaço e tempo são valores relativos e não absolutos, ao contrário do que se acreditava até então. Afirma ainda ser a da luz a velocidade máxima no universo e acrescenta: para o corpo que se deslocasse a essa velocidade, o tempo sofreria uma dilatação, ao mesmo tempo em que se registraria uma contração do espaço. Assim, o corpo que permanecesse em repouso envelheceria em relação ao outro corpo, em movimento.                                                                           Cada vez mais respeitado no meio acadêmico, Einstein ensinou em Berna, Zurique e Praga, entre os anos de 1909 e 1913. Foi então convidado a ocupar uma cátedra na Universidade de Berlim, que pouco depois acumulou com a direção do respeitado Instituto Kaiser Wilhelm. Nessa época, sua grande preocupação era a generalização da teoria da relatividade, com a elaboração de uma nova teoria capaz de interpretar, por meio de considerações semelhantes, o campo eletromagnético e o campo gravitacional, que acabaria por receber a denominação de teoria do campo unificado. Em 1916, o cientista publicou Grundlage der allgemeinen Relativitätstheorie (Fundamento geral da teoria da relatividade), formulação final da teoria geral da relatividade. Nesse mesmo ano, passou a manifestar uma preocupação com os problemas sociais que o acompanharia ao longo de toda a sua carreira.                                                                                  Em 1919, Einstein tornou-se conhecido em todo o mundo, depois que sua teoria foi comprovada em experiência realizada durante um eclipse solar. Por essa época começou a viajar pelo mundo, não apenas para expor suas teorias físicas, mas também para debater problemas como o racismo e a paz mundial. Uma dessas viagens o traria ao Brasil, em 1925. Em 1921, foi agraciado com o Prêmio Nobel de física e indicado para integrar a Organização de Cooperação Intelectual da Liga das Nações. No mesmo ano, publicou Über die spezielle und allgemeine Relativitätstheorie gemeinverständlich (Sobre a teoria da relatividade especial e geral), obra de divulgação.                                                                                      A noção de equivalência entre massa e energia, a do continuum quadridimensional e outras descobertas de Einstein provocaram uma verdadeira renovação do pensamento humano, num período de grande fertilidade intelectual, com interpretações filosóficas das mais diversas tendências. Os resultados de suas descobertas foram utilizados como argumento tanto pelos defensores do empirismo de total rigor lógico quanto pelos adeptos do idealismo matemático, segundo o qual o universo pode ser reduzido à abstração das fórmulas e das relações numéricas.

Bomba atômica e pacifismo.                                                                               Em 1933, um ano após visitar universidades e instituições de pesquisas nos Estados Unidos, Einstein renunciou a seus cargos na Alemanha, onde os nazistas já estavam no poder, e fixou residência em território americano. Passou a ensinar no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton, do qual se tornaria diretor. Em 1940 adotou a cidadania americana.                                                    Durante esse período, o desenvolvimento de armas nucleares e as manifestações cada vez mais freqüentes de racismo no mundo constituíram as principais preocupações de Einstein. Os físicos alemães Otto Hahn e Lise Meitner tinham descoberto como provocar artificialmente a fissão do urânio. Na Itália, as pesquisas de Enrico Fermi indicavam ser possível provocar uma reação em cadeia, com a liberação de um número cada vez maior de átomos de urânio e, em conseqüência, de enorme quantidade de energia. Fermi, que acabara de chegar aos Estados Unidos, e os físicos húngaros Leo Szilard e Eugene Wigner pediram então a Einstein que entrasse em contato com a Casa Branca. Ele escreveu então uma carta ao presidente Franklin Roosevelt em que alertava para o risco que significaria para a humanidade a utilização pelos nazistas da tecnologia nuclear na fabricação de armas de grande poder destrutivo. Logo após receber a mensagem, o chefe de estado americano deu início ao projeto Manhattan, que tornou os Estados Unidos pioneiros no aproveitamento da energia atômica em todo o mundo e resultou na fabricação da primeira bomba atômica.                                                                                                Embora não tivesse participado do projeto e sequer soubesse que uma bomba atômica tinha sido construída até que Hiroxima fosse arrasada, em 1945, o nome de Einstein passou para a história associado ao advento da era atômica. Durante a segunda guerra mundial, ele participou da organização de grupos de apoio aos refugiados e, terminado o conflito, após o lançamento de bombas atômicas em Hiroxima e Nagasaki, uniu-se a outros cientistas que lutavam para evitar nova utilização da bomba. Intensificando a militância pacifista, defendeu particularmente o estabelecimento de uma organização mundial de controle sobre as armas atômicas. Em 1945, renunciou ao cargo de diretor do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton, mas continuou a trabalhar naquela instituição.                 A intensa atividade intelectual de Einstein resultou na publicação de grande número de trabalhos, entre os quais vale destacar Warum Krieg? (1933; Por que a guerra?), em colaboração com Sigmund Freud; Mein Weltbild (1949; O mundo como eu o vejo); e Out of My Later Years (1950; Meus últimos anos). A principal característica de sua obra foi uma síntese do conhecimento sobre o mundo físico, que acabou por levar a uma compreensão mais abrangente e mais profunda do universo. Suas descobertas tornaram possível entender o comportamento das partículas animadas de grande velocidade e suas respectivas leis. Os princípios da relatividade revolucionaram a física newtoniana pois, com o emprego de aceleradores, tornou-se possível obter partículas animadas de enorme velocidade, cuja mecânica em muito se afasta das leis newtonianas.                                                                                                                                 Einstein conseguiu reduzir as leis da mecânica e harmonizá-las com aquelas que regem as propriedades dos campos eletromagnéticos. Com sua concepção de fóton, permitiu que mais tarde se fundissem, na teoria ondulatória de Louis de Broglie, a mecânica e o eletromagnetismo, o que no século anterior parecia impossível. Albert Einstein morreu em Princeton, em 18 de abril de 1955.

 

Arno Penzias (1933-) e Robert Wilson (1936-), a radiação eletromagnética de origem cósmica, no domínio das micro-ondas, prevista pelo big bang foi descoberta em 1965 quase acidentalmente por Arno Penzias e Robert Wilson, quando tentavam descobrir a origem de um ruído de fundo misterioso na sua antena de rádio, e identificada um ano mais tarde por Robert Dicke e James Peebles. Desde então têm sido realizadas inúmeras observações para determinar rigorosamente o espectro da radiação de fundo cósmico de micro-ondas (FCM), para saber se se trata de uma radiação isotrópica (ideal) tipo corpo negro, e obter com precisão a sua temperatura característica. Essas observações confirmaram os resultados iniciais de Penzias e Wilson: fixaram o valor da temperatura efetiva em 2,73 K e mostraram que a radiação era extraordinariamente isotrópica: quando se observa a radiação em diferentes direções concluímos que as variações de temperatura são inferiores a 0,0001 do grau Celsius. Este resultado constituiu a prova mais sólida a favor do modelo do big bang.descobriram um nível constante de radiação vinda de todas as partes do céu, considerado remanescência do Big Bang.