Make your own free website on Tripod.com

William Herschel (1738-1822), músico profissional alemão que se estabeleceu na Inglaterra, mais tarde naturalizando-se britanico, e que se tornou astronomo amador a partir de 1773. Herchel veio a ser um dos maiores astronomos e construtores de telescópios do século 18. Seus telescópios foram os maiores e mais poderosos daquela época dando a ele enorme vantagem sobre os outros astronomos e permitindo que ele descobrisse e catalogasse mais do que 800 estrelas duplas e 2500 nebulosas. Em 1781 Herschel descobriu um novo planeta ao qual ele deu o nome de Georgium Sidus, em homenagem a seu patrono, o rei George III da Inglaterra. Este novo planeta, o primeiro a ser descoberto desde o tempo dos antigos gregos, hoje é conhecido como Urano. O grande telescópio usado por Herchel era capaz de mostrar os planetas como discos visíveis, ao contrário das estrelas, sempre puntiformes. A descoberta de Urano modificava a idéia pré-concebida de que os céus eram imutáveis. Muitas descobertas ainda poderiam ser feitas tanto no Sistema Solar como além dele e, não surpreendentemente, isto teve um profundo efeito no público daquela época.

 

 

 

WILLIAM THOMSON (LORDE KELVIN 1824-1907), físico inglês, nasceu em Belfast, Irlanda. Filho de matemático, formou-se na Universidade de Cambridge e depois se aperfeiçoou em Paris. Em 1846, tornou-se catedrático de Ciências na Universidade de Glasgow, cargo que exerceu por mais de cinqüenta anos.                                               Em Geologia, Kelvin estudou a questão da idade da Terra. Em 1852, estudou o resfriamento causado pela expansão dos gases, o que levou à descoberta da escala absoluta de temperaturas, hoje chamada de escala Kelvin, de grande importância na Física e na Química. Foi também o descobridor da Segunda Lei da Termodinâmica, que indica o sentido das transferências de energia.           No campo da eletricidade, Kelvin inventou galvanômetros, desenvolveu a telegrafia submarina e aperfeiçoou os cabos condutores de eletricidade. Desenvolveu também uma teoria sobre a natureza da luz.                                                                                                                                                         Kelvin faleceu em Largs, na Escócia, em 17 de dezembro de 1907, e foi sepultado em Londres, na Abadia de Westminsiter, perto de Isaac Newton.